Como é o Corvette que Roberto Carlos deu a Tom Cavalcante

Presente foi um Chevrolet Corvette? Em entrevista recente ao Flow Podcast, o comediante e ator Tom Cavalcanti relembrou um dos momentos mais especiais de sua vida, segundo ele mesmo. Na ocasião, o cantor Roberto Carlos o presenteou com um Chevrolet Corvette branco 2011, atualmente no valor de 400 mil reais. “Um dia ele foi ao meu show em São Paulo. No palco, as pessoas ficavam olhando para ele em vez de olhar para mim”, lembrou.

“Por fim, ele apareceu no meu vestiário e brindamos com champanhe juntos. Aí o Roberto me disse que tinha um presente para mim. Achei que fosse uma garrafa de vinho. Quando vi, era um carro branco. Corvette , esta é a Ferrari americana. Eu brinquei que um dia quero pegá-la emprestada, mas ele disse: “Esta é sua. “.

O modelo que Roberto deu a Tom é a sexta geração do carro, e atualmente é a oitava versão. Este Corvette foi produzido entre 2005 e 2013. Suas maiores mudanças no carro de quinta geração são os faróis – fixos em vez de retráteis – e a distância entre eixos, que foi aumentada em 3 cm.

Em termos de motor, o Corvette C6 fornece motor V8 naturalmente aspirado de 6,0 a 7,0 litros. Dependendo da versão do motor, o carro pode fornecer potência de 430 cv a 515 cv, e a faixa de torque da caixa manual de seis velocidades é de 58,6 a 64,9 kgfm. Com isso, o modelo pode acelerar de 0 a 100 km / h em apenas 4 segundos, podendo chegar a 310 km / h. O Chevrolet Corvette C6 de Tom Cavalcanti está atualmente em sua casa em São Paulo.

Roberto Carlos e sua história em sua cidade natal

Até hoje, como registro histórico, a instituição mantém os registros escolares de Roberto Jr. em 1953. A maior pontuação no arquivo de 9,8 vem da disciplina esperada: canto. Outra evidência prova que o talento musical foi revelado desde muito jovem.

Veja Também

⇒ Bugatti Chiron: só para manter na coragem seu custo bem alto

⇒ Jeep Cherokee: história, detalhes, gerações (e modelos)

Em Cachoero, Roberto visitou também o Colégio Jesus Cristolé, onde conheceu sua irmã Fausta, uma freira que o ensinou a ler e escrever. Irmã Fausta faleceu em fevereiro deste ano e recebeu um elogio da cantora. Além de estudar, Roberto também teve aulas de música na escola de música da cidade.

Sua primeira professora foi Elena Mignone, que morreu há cinco anos. Seu filho Maurício Gonçalves Mignone, que mora em Cachoero, disse que sua mãe tem mantido contato com Roberto Carlos. “É só chegar perto dele, de sua simplicidade e charme, você sabe que está diante de uma pessoa especial”, disse Maurício.

Roberto Carlos nasceu no quarto dos pais em 1941 em uma casa de três quartos na Rua da Biquinha. Filho do relojoeiro Robertino Braga e da alfaiate Laura Moreira Braga, Roberto é o caçula dos quatro irmãos, nascido de uma menina e de outros dois meninos.

Hoje, este lugar se tornou um museu que conta a história da origem do rei. Exceto pelas paredes que antes eram amarelas, agora são azuis. Da cozinha com fogão a lenha e piso de madeira aos quadros pendurados na parede, esse imóvel é quase o mesmo que a família deixou.

Lá fora, Roberto costumava passar o tempo livre nas encostas da Rua da Biquinha. O amigo de infância Paulo Ney Viana (Paulo Ney Viana) disse que certa vez o Roberto dividiu esse tempo com ele, disse que seus jogos preferidos são bolinhas de gude e até bolas de meia.

No domingo, Paulo lembra que Roberto costumava ir à rádio da cidade, onde cantava desde criança e sempre era aplaudido pelos amigos. “Ele cantava no rádio, ele cantava no show, ele cantava na praça. Na festa do Cachoeiro, sempre que tinha show, ele cantava lá”, disse Paulo.

Roberto Carlos mudou-se da casa da Rua da Biquinha para o Rio de Janeiro aos 13 anos. Segundo Paulo, a partir daquele momento, o jovem Roberto tinha planejado seguir a carreira musical e fazer voos maiores em estados vizinhos.

Depois, Paul virou médico e Roberto Carlos virou líder de um movimento musical chamado Jovem Guarda que surgiu na década de 1960 e conquistou fãs por todo o Brasil nos anos seguintes. No entanto, esses amigos continuaram a se encontrar ao longo de suas vidas. Paulo lembra que o próximo encontro será ainda este ano, quando Roberto Carlos fará uma apresentação em Cachoeiro de Itapemirim para comemorar seus 80 anos. Devido à Covid-19, o evento teve que ser reprogramado para abril de 2022. Mas não é a primeira vez que Roberto volta à cidade para relembrar onde tudo começou. A última apresentação em Cachoero foi em setembro de 2016.

“É uma emoção muito grande e difícil de controlar. Não é complicado, mas é sutil, porque é realmente uma emoção muito grande. Chega em Cachoero, olha tudo aqui, a cidade onde nasci, a cidade onde moro por muito tempo, é uma emoção muito grande ”, disse na época.

Até o próximo encontro, os compatriotas do rei continuam orgulhosos de viver no berço de uma das figuras icônicas da história da música brasileira. Um pedaço da história fica gravado em inúmeros discos, e é imortalizado em cada disco por meio de canções, gravadas em cores.

Tom Cavalcante Historia

Tom Cavalcante é ator, apresentador e comediante. Sua trajetória profissional teve início na década de 1980, e seu discurso era voltado para a imitação. Após encontro com o veterano Chico Anysio, ele foi convidado para participar de seu programa na Globo.

Na década de 1990, João Canabrava, que estava bêbado pelo professor Raimundo, conseguiu. Também atuou com sucesso como porteiro Ribamar na sitcom Sai de Baixo (1996). Permaneceu como comédia até 1999 e deixou a atração após desentendimentos com os atores e roteiristas. Depois disso, ele liderou o Megatom (2000-01) na tarde de domingo e juntou-se ao Zorra Total (2001-04) na noite de sábado. Ele continuou a trabalhar em teatros e cinemas como ator e dublador.

Saiu da Globo e assinou contrato com a Record para dirigir o Show do Tom, que funcionou de 2004 a 2011. Entre 2009 e 2010, estrelou o humorístico Louca Família, na mesma rede. Retornou ao programa da Globo em 2014. No Multishow, participou da série Partiu Shopping (2015), Multitom, 2016, Dr. Darci, 2018. Desde 1997 é casado com Patricia Lamounier, mãe de sua filha mais nova, Maria Antônia. É também pai de Ivens e Ivete Cavalcante, fruto da convivência com Zélia Maria Queiroz de 1984 a 1993.

RELACIONADOS

Deixe seu comentário

© 2021 - Revista De Automóvel