Ficha técnica e valor do Hyundai Creta PCD 2022

Hyundai Creta PCD 2022 vem com muito conforto e uma tecnologia aceitável da categoria, e preço e sua qualidade técnica vamos abordar nesse artigo.

Há cerca de dois meses, a Hyundai vendeu o antigo Creta Action diretamente para os telespectadores do PCD.

Depois disso, a nova geração de SUVs lançada no Brasil em outubro entrará nessa categoria, o que era muito esperado. Agora, desde 29 de outubro, a montadora sul-coreana de automóveis emitiu um novo contrato de isenção de IPI ao público em Creta.

As versões disponíveis desta forma incluem Comfort e Limited. Ou seja, tanto a Platinum Edition quanto a Ultimate Edition estão fora, mesmo que o preço ultrapasse o limite máximo de 140 mil reais alterado em julho deste ano.

Para saber mais sobre a entrega, o Revista de Automóvel ficou sabendo da disponibilidade e do prazo da nova Hyundai Creta PCD na loja moderna. Na filial da Consolação em São Paulo e em Belo Horizonte no novo bairro da Nova Suíça, o prazo é de 60 a 90 dias. Nas lojas do Rio de Janeiro e de Brasília, a entrega do veículo pode demorar até 180 dias.

De acordo com a lista de preços da Hyundai Creta PCD, o desconto para a versão Crete Comfort TGDI é de US $7.442. Ou seja, a partir de 113 mil reais, o custo do modelo é de 106.438 reais. Na edição limitada do TGDI, o desconto é ainda maior, chegando a 8.325 reais. Com isso, a versão passou de 127.000 reais para 118.965 reais.

Observe que Hyundai Creta PCD também está disponível em estoque a um preço mais barato. Porém, com o recente aumento de preços, o valor mudou. Portanto, o preço de um SUV sem PCD é de US $88.368, que agora está em aproximadamente US $90.891. O preço total de mercado é US $100.990. Verificar:

  • Ação 1.6: de R$ 100.990,00 a R$ 90.891,00
  • Comfort TGDI: De R$ 113.790,00 a R$ 106.348,13
  • TGDI limitado: de R$ 127.290,00 a R$ 118.965,23

Fim do IPVA e IPI para PCD?

Em julho, foi promulgada a Lei nº 14.183, que incluiu o aumento do limite de isenção do Imposto sobre Produtos Industriais (IPI) para carros PCD de R$70.000 para R$140.000. Além de aumentar o limite máximo de benefício, a nova lei vai encurtar o período de substituição de veículos com desconto de quatro para três anos.

No entanto, a lei corre o risco de chegar ao fim. Em tese, esse benefício terminará em 31 de dezembro de 2021. Porém, para contorná-la, existe outra proposta para postergar a validade da isenção do IPI para 2026. Mas até agora, não foi determinado.

Veja Também

⇒ Por que a espera por carros novos está tão longa? Montadoras chegam a pedir 6 meses de espera!

⇒ Ford Maverick é flagrada nas ruas brasileiras! Será a nova “mini” F-150?

Além do IPI, também corre risco a isenção do IPVA (Imposto sobre Propriedade Automóvel). Até dezembro de 2020, os carros PCD estarão isentos de taxas.

No entanto, no início de 2021, a Lei Estadual nº 17.293 / 20 passou a limitar os benefícios às pessoas com deficiências graves.

Logo depois, o tribunal emitiu uma liminar proibindo o ajuizamento de ações contra o público. No entanto, é válido até o final deste ano.

Por isso, a Secretaria de Fazenda e Planejamento de São Paulo anunciou que esses veículos serão tributados a partir de 2022.

IPVA de carro PCD será cobrado a partir de 2022 em São Paulo

Antes de dezembro de 2020, carros PCD (deficientes) estão isentos de IPVA (imposto de propriedade de veículos motorizados).

Porém, no início de 2021, a Lei Estadual nº 17.293 / 20 passou a restringir o bem-estar das pessoas com deficiência grave.

Logo depois disso, o tribunal emitiu uma liminar proibindo litígios contra o público. Porém, é válido até o final deste ano.

Por isso, o Ministério da Fazenda e do Planejamento de São Paulo anunciou que esses veículos serão tributados a partir de 2022.

Com o fim da proibição, cerca de 80% dos proprietários de PCD desejam pagar IPVA no próximo ano. Nesse sentido, mesmo que a decisão do tribunal seja prorrogada por um período mais longo, o deve pagar os novos carros também novos carros. Incluindo carros modificados.

No entanto, o motivo dessa cobrança é outro. Devido à crise de chips, a produção de veículos 0 km em muitas fábricas nacionais foi paralisada e a avaliação de modelos novos, usados ​​e usados ​​é alta. Em outras palavras, a valorização dos veículos 0km acabará por levar à “expansão” dos carros usados ​​e usados. Portanto, no ano passado, houve um aumento real dos preços.

Para esclarecer, a Lei 17.293 / 20 só prevê isenção de IPVA para carros com valor inferior a 70.000 reais. Na verdade, esse é o mesmo que o limite superior da população de PCD não pagar ICMS na hora de comprar um carro.

No entanto, o Comitê de Política Financeira Nacional (Confaz) não pode alterar esse valor a cada hora. Ao contrário do que fazia o IPI, o IPI agora tem um limite de R$140 mil para obter os benefícios.

Aumento dos valores

É claro que a escassez de chips e a pandemia de Covid-19 agravaram a situação no mercado automotivo. Portanto, os modelos obtidos em 2020 não só não terão redução de preço, mas serão mais valiosos. Isso é comparado com o valor no momento.

Segundo dados da Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe), entre fevereiro de 2020 e julho de 2021, o preço dos automóveis subiu 19,9%. Vale ressaltar que o valor do IPVA é de 4% do preço do carro.

Caso que aconteceu

No final de 2021, o TJSP decidiu bloquear a tributação do público do PDC que já havia usufruído da isenção do IPVA 2020. Nesse sentido, a decisão é fruto de ação civil pública. O Ministério de Relações Públicas de São Paulo se opôs à Fazenda.

Dessa forma, espera-se que o projeto bloqueie a Lei Estadual nº 17.293 / 20, que dispõe sobre o programa de ajuste tributário do Estado de São Paulo.

Com isso, o governo estadual optou por alterar a política de isenção tributária e, a partir de 1º de janeiro, tem garantido que os benefícios só serão concedidos às pessoas com deficiência física grave, que representam cerca de 20% desta categoria.

De acordo com o Ministério de Relações Públicas, a nova lei faz uma distinção ilegal entre as deficiências que não são do motorista e os motoristas com deficiências graves e severas.

Desta forma, viola o “princípio da isonomia tributária, porque considera os geradores de impostos ou de isenções tributárias a situação de vulnerabilidade dos contribuintes com deficiência, mas sim o tipo de adaptação ao veículo”.

SOBRE O AUTOR
Yasmin Vitoria
Sou amante de carros e motos desde sempre, hoje compartilho conhecimentos com todos vocês. Adoro escrever sobre diversas coisas, mais hoje faço parte da equipe do site revista de Automóvel. Aqui nosso intuito tentar levar os melhores artigos sobre carro, caminhão e motocicletas.
RELACIONADOS

Deixe seu comentário

© 2022 - Revista De Automóvel