Lista das Motocicletas elétricas que estão à venda no Brasil (2021)

Lista das Motocicletas elétricas que estão à venda no Brasil (2021)

Fala-se muito de carros elétricos no Brasil e já é comum ver híbridos nas ruas. Entretanto, os representantes não estão ativos apenas no mercado de automóveis, mas também no mercado de motocicletas. Portanto, nesta lista citaremos alguns deles.

Quando se pensa em motocicletas elétricas, muitas pessoas remetem aos ciclomotores e scooters que muitas pessoas andam no Brasil, mesmo em ciclovias e trilhas, o que tem causado alguma controvérsia.

Veja Também

⇒ Fazer 250 teve uma grande queda em vendas outubro 2021

⇒ Conheça a nova Sinnis Outlaw Cruiser de 125cc

⇒ Triumph 2022

Embora acredite ou não, há algumas motocicletas elétricas no Brasil que fazem alguns motores a gasolina de marcas bem conhecidas pensarem duas vezes antes de competirem nas estradas. Há modelos disponíveis com até 14.000 watts de potência, ou cerca de 19 cavalos de potência.

A figura pode não surpreender ninguém, mas tudo isso e quase 8 kgfm de torque são produzidos a 0 rpm. O alcance ainda é um problema importante, mas alguns chegam a 180 km ou mais.

Há alguns projetos em andamento no Brasil que visam atingirem 34.000 W ou 45 cv e um alcance de até 500 km, mas a lista abaixo mostra os modelos que podem ser comprados.

Para todas as motos elétricas listadas abaixo, você precisará de uma carteira de motorista nacional categoria A, uma placa de matrícula e documentação completa. Dependendo da região, existem isenções de IPVA e outros benefícios para veículos elétricos.

1) Moto Voltz EVS

Entre as marcas de motocicletas elétricas representadas no Brasil, a Voltz é a mais conhecida e oferece um produto de muito boa qualidade visual. A EVS é um modelo urbano com um design moderno e um preço até amigável.

A EVS é uma moto elétrica equipada com um conjunto completo de LEDs, um painel LCD, conexão USB e integração com smartphone. Tem um visual esportivo e uma suspensão traseira com apenas 1 braço, o que lhe dá um visual Aprilia.

A Voltz EVS vem em duas versões, a simples com uma e uma com mais autonomia que possui duas baterias, essas são montadas no lugar do tanque de combustível e do motor de combustão. Possui um motor elétrico de 3.000 W montado sobre a roda traseira acelera de 0 a 60 km/h em 6 segundos.

A velocidade máxima é de 120 km/h, independentemente do conjunto de baterias, permitindo uma autonomia de 120 km ou 180 km sejam percorridos a uma velocidade média de 35/45 km/h. Com um carregador de 10Ah, uma carga completa leva 5 horas.

As baterias podem ser removidas e recarregadas em outro lugar e pesam 15 kg cada uma. A moto Voltz EVS apresenta modos de acionamento Eco, Standard e Turbo, este último com uma potência máxima de 7000 W. O veículo está conectado a uma rede de dados em nuvens.

Seu preço está em torno de – R$19.900.

2) Voltz EV1 Sport – R$14 990

A Voltz apresenta outro produto, desta vez a scooter EV1 Sport, que por um tempo foi seu primeiro modelo vendido aqui no país. Nas versões com alcance de 100 km ou 180 km, e pode atingir estes números a uma velocidade média de 35 km/h na cidade.

Equipado com um motor elétrico de 3.000 W e uma potência máxima de 4.500 W, o EV1 Sport acelera de 0 a 60 km/h em 12 segundos e tem uma velocidade máxima de 75 km/h, o que é suficiente para a condução urbana.

Esta motocicleta está conectada ao Voltz Cloud e EVS e também apresenta um kit completo de LEDs, um painel digital e um visual moderno com materiais de qualidade diferenciada. Tem três modos de pilotagem com limite de velocidade diferentes.

O tempo de carregamento com o carregador incluído é de 5 horas e as baterias vêm com uma garantia de 3 anos.

Assim como no EVS, você pode ouvir as direções do sistema GPS integrado ou de seu smartphone via Bluetooth. Também tem freios CBS como o modelo EVS.

Esse modelo está custando em torno de R$ 14.990,00

3) Super Soco TC Max – R$45,990

Uma das bicicletas elétricas mais interessantes é a Super Soco TC Max. A terceira versão deste modelo vendido no Brasil combina o futurismo com o estilo Café Racer e tem um estilo só seu.

Com assento de couro plano, caixa de bateria e motor e uma estrutura de alumínio que se estende até o peso traseiro. Em estilo retrô, possui até mesmo um velocímetro analógico.

Possui rodas de liga leve e freios CBS, mas ao contrário do modelo anterior, o motor é montado centralmente e fornece 4.500 W (6,1 hp) e 18,2 kgfm a tração se dá através de uma correia. O veículo é capaz de atingir 100 km/h (62 mph) e tem um alcance de 140 km (87 milhas) com dois modos de condução.

Tem acionamento por botão, chave eletrônica e bateria substituível. Ele apresenta um motor Bosch e um módulo óptico LED com ótimo design, possui também um aplicativo especial de controle remoto.

Outra característica interessante do Super Soco TC Max é a suspensão dianteira invertida, o que dá ao modelo um visual ainda mais sofisticado.

Em 2021 está custando por volta de R$45.990,00.

4) Super Soco CUX

Dentro da linha Super Soco, o CUX é um modelo muito parecido com a scooter Vespa com um visual mais moderno vem com os LEDs em um kit óptico único no guidão. Possui uma bateria substituível que permite um alcance de 70 km.

A CUX pesa 78 kg (menos que a TC Max, que pesa 103 kg) e tem um motor elétrico no cubo traseiro que produz 2.788 W ou 3,79 hp, e seu torque é maior que o popular 1.0 – 11,7 kgfm!

Com uma velocidade máxima de 65 km/h, o Super Soco CUX foi projetado para uso urbano, por isso há um porta luvas na parte frontal e o espaço sob o assento é ocupado quase inteiramente por uma grande bateria. O painel de instrumentos é digital, ainda assim é mais simples que o do TC Max.

O assento pequeno tem uma alça de aço para um possível passageiro, e a CUX tem luzes LED traseiras. A scooter possui rodas de liga leve e freios compostos, que são obrigatórios no Brasil. Como os outros modelos Super Socos, ela é equipada com uma chave eletrônica e alarme.

O Super Soco CUX está disponível em quatro cores e tem uma versão especial com um design criado pela Ducati, a marca italiana de motocicletas do Grupo Volkswagen.

5) Moto GWS K14RS

Custa tanto quanto um utilitário compacto básico, mas é uma motocicleta e não pertence a uma marca premium. Mas a GWS K14RS é uma verdadeira superesportiva no mercado brasileiro de motocicletas elétricas.

A GWS K14RS tem uma aerodinâmica e linhas agressivas, mas o que é mais marcante é a força que fornece o motor elétrico na roda traseira. 14.000 watts são integrados diretamente no pneu, o que permite que ele atinja velocidades de 170 km/h.

Esta é uma velocidade muito alta, que excede até mesmo a de alguns carros elétricos top de linha que são limitados por seu acionamento elétrico. Em qualquer caso, toda a potência (19 hp) é atingida a 0 rpm.

O GWS K14RS de alto torque tem uma bateria de íons de lítio que fornece uma autonomia de 150 km. A versão esportiva também apresenta um kit de faróis LED, conexão Bluetooth para seu smartphone, freios a disco com CBS e o sistema e-ABS.

Este último é um freio motor e tem uma função de gerador de energia, útil para economizar energia no veículo K14RS de alta velocidade. O lado negativo é o preço muito alto chegando a quase R$ 100.000,00 reais.

6) Motocicleta GWS K8000R

Na linha de motos elétricas da marca GWS, sediada em São Paulo, mas representada nas áreas rurais e no Nordeste, a K8000R está em segundo lugar na hierarquia de potência, embora ainda seja muito cara.

Como o nome sugere, ele é equipado com um motor elétrico de 8.000W (na roda traseira) produzindo 10,9hp. Isso não está nem no nível da velha Honda CG 125, mas para uma bicicleta elétrica é bastante.

A velocidade máxima atingida por esse modelo é de 130 km/h. No caso da GWS K8000R, ela está bem abaixo de seu primo esportivo, mas certamente deixa muitas motocicletas de maior potência para trás. O modelo também apresenta freios a disco frontal duplos, painel digital e aparência agressiva.

O tempo de carregamento é de 6 a 8 horas, como no K14RS, e o alcance é o mesmo.

O K8000R Motocicletas elétricas também apresenta conectividade Bluetooth, alarme remoto e freios CBS/e-ABS. Ele pesa 170 kg em comparação com 185 kg para o K14RS e custa por volta dos R$ 65.000,00 reais.

7) Scooter GWS K4000RP

A marca GWS, que oferece a scooter elétrica K4000RP em São Paulo com um visual um pouco mais atrativo e possui um bagageiro. Vem com rodas de liga leve e freios a disco tanto na parte frontal como na traseira, ambos CBS.

O motor elétrico de 4.000 W (5,44 hp) pode acelerar e atingir até 70 km/h e a bateria de íons de lítio oferece uma ótima autonomia de até 150 km. O tempo de carregamento é de 10 horas e a vida útil da bateria é garantida por até 3 anos, de acordo com a GWS.

A Motocicletas elétricas GWS K4000RP tem um display LCD, e faróis, setas de direcionamento e farol são LED. Ela também tem uma entrada USB para que o motoqueiro possa recarregar seu smartphone em um suporte que fica ao lado do guidão.

A desvantagem do GWS K4000RP é o preço, embora visualmente não seja o que você esperaria por seu valor, mas neste caso a demanda por economia tem precedência.

  • Preço com apenas 1 bateria R$ 26.300,00 reais.
  • Preço com duas baterias: R$31.300,00 reais.

8) Scooter Shineray SE 1 Lítio

A Shineray está trabalhando em uma “street” elétrica para 2022, mas por enquanto só há scooters nela. Este é o caso do SE 1, que tem a vantagem de custar pouco em comparação com marcas menores.

Como o nome sugere, SE 1 Lítio, esta versão tem uma bateria de lítio e, portanto, é ligeiramente mais cara que a versão de chumbo.

Embora sua designação seja SE 1, elas são bicicletas diferentes. O SE 1 Lítio tem um visual mais moderno com faróis LED na frente com luzes em “X” de funcionamento diurno, mas com exceção das coberturas de suspensão traseira, todo o resto tem um visual mais comum.

O Shineray SE 1 Lítio está equipado com um motor elétrico de 2.000 W (2,71 hp) com acionamento no cubo da roda e atinge uma velocidade de até 60 km/h. A scooter da marca chinesa tem um alcance autônomo garantido de até 60 km e um tempo de carregamento de 6 a 8 horas.

Os freios são a disco em ambas as rodas, sistema CBS e rodas de liga leve de 12 polegadas. Seu peso é por volta de 86 kg e tem uma bateria substituível.

Seu valor em 2021 está por volta de R$ 12.990,00.

9) Shineray SE 1 Chumbo Motocicletas elétricas fabricada no brasil

Visualmente semelhante ao GWS K2000DL, que não está entre os 10 melhores, o Shineray SE 1 Chumbo tem a vantagem de um alcance mais longo do que o Lítio – 80 km. O modelo também apresenta um farol duplo e um assento com apoio lombar para o passageiro.

Há uma grande alça na traseira e o assento permite que um objeto seja colocado sob o assento, já que a bateria de chumbo-ácido (semelhante a uma bateria de carro) ocupa muito espaço. Essa moto elétrica vem com um painel digital e um piso plano para o melhor conforto do piloto.

O SE 1 chumbo leva de 7 a 8 horas para carregar e tem a desvantagem de ser mais pesado devido à bateria removível, que pesa 123 kg.

Os freios CBS são atraentes, apresentando um grande disco frontal com “pétalas” que ocupa toda a roda enquanto está presa ao aro e não ao cubo, e pinças e pastilhas de freio no interior. É certamente um projeto incomum para uma motocicleta popular.

O bom do SE 1 chumbo é seu preço, pois é a bicicleta elétrica mais barata do mercado (exigindo uma carteira de motorista e registro). O valor chega a R$ 10.990,00 reais em 2021.

10) Shineray SE 2 Motocicletas elétricas fabricada no Brasil

O preço da Shineray SE 2 é o mesmo que o do SE 1 Lítio, R$ 12.990 reais, mas é uma moto menor. Possui um visual mais moderno e atrai a atenção com faróis quadrados de LED com luzes LED de funcionamento diurno. O painel de instrumentos é digital e as luzes traseiras são LED, mas com indicadores integrados.

Como não há muito espaço de armazenamento sob o banco, o SE 2 tem um pequeno display de acrílico ao lado do painel. A scooter elétrica Shineray pesa 84 kg e tem um motor elétrico Bosch de 2.300 W (3,12 hp) no cubo da roda.

Pode atingir até 60 km/h e tem um alcance autônomo de 60 km, o que é adequado para uso urbano. O modelo pode ser recarregado em 6 a 8 horas, portanto, pode ser recarregado durante o horário de trabalho.

Juntamente com suas irmãs SE 1 lítio e SE 1 Chumbo, a SE 2 completa o trio de motos elétricas que a Shineray tem disponível a venda em 2021.

4.8/5 - (52 votes)
SOBRE O AUTOR
Yasmin Vitoria
Sou amante de carros e motos desde sempre, hoje compartilho conhecimentos com todos vocês. Adoro escrever sobre diversas coisas, mais hoje faço parte da equipe do site revista de Automóvel. Aqui nosso intuito tentar levar os melhores artigos sobre carro, caminhão e motocicletas.
RELACIONADOS

Deixe seu comentário

© 2021 - Revista De Automóvel