Nova Amarok 2021: V6 e a Ram 1500, qual a melhor?

Dois dos mais recentes lançamentos no mercado de caminhonete no Brasil da nova Amarok 2021 são caracterizados por um grande número de motores e potência. Por R$399 mil, o Ram 1500 importado dos EUA vendeu em poucas horas seu 1º lote de mais de cem unidades.

O Amarok V6, feito na Argentina, quase não mudou, mas trouxe um upgrade muito importante. Foi executado com o motor 3.0, que anteriormente produzia 225 cv. Na linha 2021, sua potência foi aumentada para 258cv.

Veja Também

⇒ 
Jaguar Vision Gran Turismo SV o carro que é uma super maquina

⇒ A Brasília amarelo dos Mamonas Assassinas está de volta?

Nova Amarok 2021 tem os modelos V6 e a Ram 1500

Amarok 2021

Nova Amarok 2021 V6 (Foto Divulgação)

Amarok 2021

Amarok 2021 Ran 1500 (Foto Divulgação)

Além disso, trouxe um overboost, que faz com que o motor V6 da caminhonete produza até 272 cv. Isso acontece por cerca de 50 segundos de 50 km/h 120 km/h. Leva 10 segundos para o sistema “se recuperar” e voltar ao uso completo.

O Ram 1500 “ri” do desempenho do Amarok V6. Com seu 5.7 V8, ele gera nada menos que 400 cv. E é muito mais rápido de 0 a 100 km/h. dura apenas 6,4 segundos, e que antigamente era 7,4 segundos da picape Volkswagen, que custa R$243.290 na versão Highline e R$256.390 na versão Extreme.

O Ram 1500 é mais rápido que o Amarok V6. Isso ficou evidente ao analisar o número dos dois, mas a comparação de desempenho vai além de 0 a 100 km/h.

Vou direto ao ponto: depois de testar os dois captadores, cheguei à seguinte conclusão de que mesmo em desvantagem o Amarok V6 parece estar por perto ou até mais rápido do que o Ram 1500 na maioria das situações de reinicialização.

Eles variam de 0 a 100 km/h. Quase ninguém usará esse parâmetro diariamente. Talvez em um posto de pedágio? Ou quem sabe quando ir ao farol? Nesse caso, como a maioria dos faróis estão localizados em cidades, o motorista vai ignorar as regras de trânsito, partindo da imobilidade, aplicando a força máxima no pedal do acelerador para atingir 100 km/h.

O reset é usado em várias condições do dia a dia, e em especial a ultrapassagens. Alguns dos clientes tendem a dirigir em regiões com estradas de faixa única, onde uma boa capacidade de coleta é um fator de segurança.

No entanto, é importante notar que Ram não agrada a esse público. Para eles, 2500 é o produto mais adequado. Dependendo da marca, a técnica 1500 foca mais no estilo de vida e nos clientes que moram nas proximidades ou que fogem com frequência para grandes centros urbanos: condomínios de luxo e casas de praia, etc.

Por mais curioso que esse comportamento seja sobre retomadas, Amarok e Ram não são concorrentes diretos. E não apenas por causa da diferença de preços. O modelo norte-americano é quase 70 cm mais comprido e tem um espaço interior que a maioria dos veículos não têm – a Volkswagen não é exceção.

 

Por mais que as versões mais sofisticadas de picapes de médio porte invistam em clientes urbanos ou que moram perto de grandes cidades, elas têm um público diferente em mente. O Ram 1500, é o principal consumidor.

Então, em um contexto de dólar superior a R$5, a marca decidiu explicar o alto valor da sua caminhonete não só em termos de tamanho e V8, mas também em termos de tecnologia. Na cabine, Ram é um SUV quase luxuoso com uma caçamba.

Vem na forma de ACC, leitor com função correta, frenagem de emergência autônoma e uma enorme tela multimídia dividida em duas partes e com câmeras 360º.

Amarok é rústico. Tem até alguns detalhes finais inteligentes, mas não impressiona com as técnicas dos sistemas. O centro multimídia é simples, antiquado e tem uma tela bem pequena.

O que o Amarok oferece em termos de tecnologia não é muito adequado para um carro na faixa de R$ 250 mil. O preço é justificado pelo design e tipo de veículo. E se relaciona com as principais versões de muitos de seus concorrentes diretos – incluindo Toyota Hilux, Chevrolet S10 e Ford Ranger.

É mais caro do que alguns outros e tem um preço semelhante ao Hilux mais alto. No entanto, nenhum dos rivais tem um comportamento tão extravagante como o Amarok V6. E quem quer pagar menos pelo modelo Volkswagen pode preferir as versões 2.0 turbodiesel.

 

RELACIONADOS

Deixe seu comentário

© 2021 - Revista De Automóvel