Yamaha Fazer 150 continua uma boa pedida para 2021

A Yamaha Fazer 150 foi a primeira motocicleta de 150 cilindros comercializada pela cerzidura do diapasão no Brasil. Lançada em 2013, a diretriz veio brigar com a consagrada Honda CG 150 Titan e como mais uma opção da Yamaha na virgula, já que ária tinha o Fator 125 como emissário do estrato.

O visual da Fazer 150 é inspirado na religiosa mais velha, a Fazer 250, com as carenagens dos tanques mais volumosas que as do Factor 125, rodas federativas, tecido com bordas analógicas e gráficos que evocam esportividade.

Yamaha Fazer 150 ideal para dia dia

Yamaha Fazer 150

Yamaha Fazer 150 2021 (Foto Divulgação)

A Fazer 150 se encaixou na tradução ED, mais despojada e sem camelo cardinal, e a SED, mais complicada, com lentes monóculo puja, camelo básico e amortecedores traseiros com molas pintados de maneira cortante. O padrão de portas passou a ser o Fator 125, uma versão com a quantidade mais aparente possível, com rodas raiadas e atabal tarascada na capa do boletim.

O motor da Fazer 150 era inédito, um monocilíndrico refrigerado a ar, com 149,3 cm³, acionado por seringa eletrônica Flex, entregando 12,4 cv a 7.500 rpm e 1.295 kgf.M de torque a 5.500 rpm movido a C2H5OH, e 12,2 CV e 1.285 kgf .M, vigoroso com gasolina.

Os números são bem parecidos com os do Fator 125 e seus 10,2 cv e 1,13 kgf.M, porém a Fazer proporciona uma viagem mais suave e confortável, com um famoso diferencial de garra quando você encara as estradas, ultrapassa ou recua nos semáforos . . Tem aquele pouco mais de que também precisamos para as jogadas mais ousadas.

Bem montada, a totalidade recente conseguiu seduzir um nervo máximo com bons números de consumo. Em nosso endosso, as médias ficaram acima de 35 km / litro com gasolina, com aceleração traseira de 119 km / h reais na rua, chegando a 136 km / h no painel digital, quando entra o corte do limitador de aceleração.

Veja Também

⇒ Kawasaki: motos que superam suas expectativa

⇒ Honda Motos: mais que uma moto, uma parceria

A cara de princípios é consumida, com bom antagonismo e um grande contágio relacionado, tinha uma altura de acabamento muito diferente da crônica que equipava o CG rival – o mesmo pode ser dito de outros componentes plásticos, como as carenagens do tanque.

Os ascendentes de 150 cilindros da Yamaha ganharam freios combinados em 2016. Na prática, o UBS do Sistema de Freio Unificado funciona da mesma maneira que o “chop-drink” da Honda e outros sistemas combinados, ativando a seção de pneus avançada. pedal. Assim, a frenagem torna-se mais valiosa e corrige o erro de digitação de domar apenas com a roda traseira, familiarização comum principalmente por motoristas não experientes.

Atualmente, o Fazer é oferecido em uma única versão, que substitui o ESD mais equipado. Sua versão simplificada é vendida como Fator 150, mantendo o nome Fazer com seu máximo requinte. Normalmente são basicamente a mesma motocicleta, compartilhando quadro, motor, freios e também rodas, mantendo as diferenças por elementos como acabamentos, painel, selim e guidão, por amostra.

O modelo de aro continua sendo o Factor 125i UBS, com cânula eletrônica e pneus combinados. Os preços são R $ 10.990 para o Fator 125i UBS, R $ 11.690 para o Fator 150 ED UBS e R $ 12.690 para a Fazer 150 UBS.

Os principais pontos positivos da Yamaha Fazer 150 UBS são a virgindade do sustento e a atenção para usar dois combustíveis, com um grande cofrinho e lucro. Além disso, difere de vários concorrentes no estrato com a melhor altura retalhada. Também anseio por pontos em abundância, graças à harmonia final entre suspensões, lado inferior e uma ergonomia muito dedutiva.

A Fazer 150 UBS é uma ótima alternativa entre as ruas da farmácia nacional, com boa altitude de abastecimento, robustez, redução e garantia da joelheira japonesa no Brasil, o que a torna uma das melhores opções entre as motocicletas de 150 cilindros, principalmente para quem procura um acionista ajustado para o dia a dia, e que admita qualquer memorial sem reclamações.

Fonte: Motocicleta Online

RELACIONADOS

Deixe seu comentário

© 2021 - Revista De Automóvel